voltar a Coros e orfeões

Coros infantis e/ou juvenis

A institucionalização de coros infantis e juvenis fora do contexto escolar ou religioso teve expressão a partir da década de 1950. O caso do Orpheon Infantil, fundado em 1911, na cidade do Funchal, documenta o perfil dos grupos corais infantis e juvenis antes do virar do século: manteve uma atividade de ensaios descontínua, dependente das atuações, reuniu alunos das escolas locais, e não foi constituído como uma entidade jurídica autónoma ou dependente de outra. Depois da reinstauração da democracia, em 1974, o número de coros infantis e juvenis aumentou exponencialmente, constituindo em 2013 nove por cento da atividade coral não escolar ou litúrgica em Portugal, segundo o inquérito realizado no âmbito do projeto de investigação - "A música no meio: O canto em coro no contexto do orfeonismo (1880-2014)".

Apoios